Como funciona uma compra no cartão? Conheça o fluxo de transação

Saiba tudo sobre Conciliadores de Cartões e conheça as principais características dos serviços de conciliação de cartões disponíveis no mercado.

Como funciona uma compra no cartão? Conheça o fluxo de transação

4 de novembro de 2020 Conciliação de Cartões 0

Conheça o fluxo de uma transação feita via cartão

A compra por cartão de crédito ou débito revolucionou os meios de pagamento nas últimas décadas. Basta colocar o seu cartão, digitar a senha e “voilá!”: você pode levar o produto ou usufruir do serviço no mesmo momento. Mas será que uma compra no cartão é simples assim, feito um passe de mágica?

A verdade é que, naqueles milésimos de segundos entre o “enter” após você digitar a senha e a boa notícia da “compra aprovada”, ocorre o fluxo de transação de dados entre diversos players do mercado de pagamentos digitais. Entram na jogada credenciadoras, emissoras, rede da bandeira e até mesmo a conta bancária do pagante, no caso do pagamento em cartão de débito, e limite do cartão, no caso de compra no crédito.

Preparamos abaixo um passo a passo de tudo que rola nesse tal fluxo de transação, para você não ter mais dúvidas sobre como o dinheiro chega ou sai de sua conta a cada compra & venda:

  • Passo 1 – Cartão e senha

O primeiro passo de qualquer compra no cartão é a inserção dele na “maquininha” – nome popular dado ao terminal de processamento de dados de cartões, chamado em inglês de PDQ. Após a máquina identificar o cartão (débito ou crédito), o comprador digita sua senha e, assim, dá início ao fluxo de transação de dados.

  • Passo 2 – Captura da transação

No momento em que a senha é inserida, a transação é “capturada” pelo sistema da credenciadora, também chamadas de adquirentes. Ela é a responsável por credenciar o terminal de processamento de dados de cada lojista e empreendimento comercial, e por transmitir a transação para os próximos players do fluxo.

As credenciadoras mais utilizadas no Brasil são Cielo, Redecard, Stone, Pagseguro, Safrapay e GetNet. Existe ainda a possibilidade de uma subcredenciadora fazer a ponte entre lojistas e credenciadoras.

  • Passo 3 – Rede da bandeira “comunica” o emissor

Após capturar a transação, a credenciadora transmite os dados para a rede da bandeira. Esta, por sua vez, faz a conferência do BIN do cartão, o Bank Indetification Number – ou, em português, “Número de Identificação Bancária”. 

Trata-se dos seis primeiros dígitos impressos no seu cartão, que identificam quem foi o responsável por sua emissão – pode ser uma instituição financeira, um banco, uma companhia aérea, o governo, entre outros.

Conferido o BNI, a rede da bandeira comunica o pagamento ao emissor do cartão. Entre as principais redes de bandeira, destacam-se Mastercard, Visa,  Elo, American Express, Diners Club, Sorocred e Hipercard.

  • Passo 4 – Emissor autoriza venda

O emissor do cartão tem um papel crucial nas compras no cartão: é ele quem aprova ou desautoriza a transação entre cliente e estabelecimento comercial. 

Isso pode acontecer de duas formas: no caso de pagamentos no cartão de débito, o emissor confere se a sua conta tem saldo o suficiente para a transação; já em compras no cartão de crédito, é verificado se a transação cabe no seu limite de crédito.

  • Passo 5 – Rede transmite aprovação para credenciadora

A rede da bandeira, ao receber a aprovação do emissor, transmite essa informação para o sistema da credenciadora, que processa e confirma a venda. Ela então transmite essa informação para o terminal de processamento de dados do lojista – a “maquininha”.

  • Passo 6 – Lojista conclui a venda.

Recebendo a autorização do credenciador, o lojista conclui a venda, entregando o produto ou serviço para o consumidor. 

E quando o lojista recebe o dinheiro?

Explicamos ponto a ponto como funciona o fluxo de transação de uma compra no cartão. Mas e o lojista? Quando recebe o pagamento?

Essa resposta é simples no caso da compra no débito – o dinheiro, neste caso, sai instantaneamente da conta do comprador e para a do lojista o crédito ocorre no próximo dia útil. 

Quando a compra é no cartão de crédito, porém, as coisas ficam um pouco mais complicadas. Neste caso, existe o que chamamos de fluxo de liquidação ou seja, o momento em que o pagamento é “liquidado” e transferido para o vendedor. Tema para o próximo texto do nosso blog!

Devido à nebulosidade dos prazos de recebíveis e taxas envolvidas nas transações é que se faz necessária a conciliação de cartões – ou seja, conciliar, auditar e gerenciar todas as suas vendas via cartão, identificando o quanto você tem para receber das operadoras e quando irá receber, além de identificar cobranças e taxas como as tarifas de cartão de crédito sobre cada operação e as taxas de antecipação do recebimento.
Entenda aqui os serviços de conciliação de cartões e seus benefícios, e conheça aqui os planos disponíveis de conciliação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *